26 Jun. 2024
Escritor: Leafar do Leafarverso
Revisor: Historiador Libertario
Narrador: Leafar do Leafarverso
Produtor: Leafar do Leafarverso

As PIORES QUEIMADAS do Século e o silêncio da TURMA DO AMOR

Estamos encerrando o primeiro semestre de 2024 e o Brasil está testemunhando um aumento absurdo nas queimadas. Principalmente nos biomas da Floresta Amazônica, no Cerrado e no Pantanal.

Os dados "oficiais" (ou não) dos institutos públicos e privados revelam uma situação crítica que consegue superar qualquer número do governo anterior. A coisa está tão alarmante que nem a extrema imprensa consegue esconder mais, eles só evitam atribuir a culpa ao painho Lule que paga os salários deles.

Na Amazônia, a queridinha dos influencers da "esquerda consciente", foram detectados 12.696 focos de queimadas entre 1º de janeiro e 23 de junho deste ano. Isso representa um aumento de 76% em comparação ao mesmo período no ano passado, sendo o maior valor registrado desde 2004.

Mas não se iluda achando que 2023 foi um ano tranquilo. No primeiro ano do mandato do amor, as queimadas na Amazônia tiveram o segundo pior índice da história, em sua época.

O Cerrado sofreu ainda mais, já são mais de 12 mil focos de incêndio desde o começo do ano, um aumento de 32% em relação ao ano passado que também não foi um ano tranquilo.

Mas agora iremos para o nosso protagonista da vez, o Pantanal. Embora o bioma seja menos extensivo, a quantidade foi de 3.262 focos entre 1º de janeiro e 23 de junho. Isso é um aumento de mais de 1000% em relação ao ano anterior. Sim, você não ouviu errado, o número é 22 vezes o registrado no mesmo período de 2023 do ano passado, segundo o Inpe.

A única vez em que o país esteve tão mal em relação a esses números foi no primeiro mandato do Presidente Lula. Mas que surpresa, não? Você lembra quem era a Ministra do Meio Ambiente de Lula em seu primeiro mandato? Pois é...

A atual Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, responsabilizou o governo Bolsonaro pelas queimadas de 2020. Disse ela em um de seus perfis digitais: “É uma atuação pífia, de puro faz de conta, onde o que vem sendo feito é muito mais em função do trabalho árduo dos servidores públicos abnegados e do esforço de voluntários comprometidos com a causa ambiental."

Agora, a Ministra tem a cara de pau de atribuir a culpa das queimadas à ação humana e a outros fenômenos. Ela tem forçado a sua retórica para dizer que atividades ilegais como o desmatamento e queimadas criminosas são os principais culpados.

A mudança de postura denota o grau de hipocrisia que políticos de esquerda tem, pois quando é conveniente ignorar e distorcer a realidade, eles assim o fazem. Quando há problemas que afetam a sociedade surgindo diante de seus governos marxistas, a culpa é da população, da mãe natureza e até de alguma divindade. No entanto, quando os mesmos problemas surgem num governo que não seja de esquerda, a culpa é do governo.

E a cereja do bolo de cada crítica é a postura de "Se tivessem elegido um político de esquerda, isso não aconteceria". É impressionante a incoerência de discurso e prática desses políticos do governo do amor.

O economista e escritor libertário, Murray Rothbard, escreveu sobre isso em seu Manifesto: "O político moderno é o artista da hipocrisia pública. Ele pode entrar no Congresso ou no parlamento e, com rosto sério, discursar sobre a 'necessidade de liberdade e democracia', e, ao mesmo tempo, votar para impor medidas fiscais pesadas sobre seus súditos. Ele pode denunciar o 'mal da guerra' e, ao mesmo tempo, votar a favor de orçamentos militares maiores. Ele pode condenar os 'ganhos ilícitos' de negócios privados e, ao mesmo tempo, patrocinar uma legislação que confere privilégios especiais a grupos de interesse."

Porém, a maior fonte de hipocrisia atual não são os políticos, e sim os influencers que fizeram o L e culparam Bolsonaro por problemas que persistem até hoje. Durante as queimadas de 2020, uma enxurrada de influencers deu seu pitaco de "conscientização" na internet sobre os vários incêndios florestais que ocorriam no Brasil.

Naquela época, a cantora Anitta, que recentemente disse que foi forçada a se manifestar na eleição de 2018 a favor da esquerda, usou suas redes sociais para dar seu pitaco ambiental de 15 segundos sobre a situação da floresta. Luciano Huck também tinha se pronunciado, destacando a importância da preservação ambiental e a necessidade de ações concretas para combater o desmatamento. Óbvio que os garotinhos e garotinhas da doutrinação marxista da internet brasileira também se manifestaram como Felipe Netto, Castanhari, Kéfera e outros.

Porém, o que mais chamou a atenção naquele período foi a manifestação de influencers internacionais. Coisa que parece que só um governo de direita malvadão é capaz de fazer.

Greta Thunberg, a ambientalista militante sueca, fez várias declarações e posts em redes sociais condenando a destruição da Amazônia e até entrou em um "embate", que só existiu na cabeça dela e da mídia esquerdista, com o próprio presidente Bolsonaro. Um episódio que ficou marcado pelo então presidente chamar ela de "pirralha".

O ator Leonardo DiCaprio, que alguns consideram também ativista ambiental, chegou a expressar suas preocupações sobre as queimadas e a política ambiental do Brasil com bastante furor em suas redes sociais.

O Protótipo de Ditador e presidente da França, Emmanuel Macron, teve a audácia de sugerir a internacionalização da Amazônia para que esses problemas com queimadas fossem melhor administrados.

A supermodelo brasileira Gisele Bündchen, o cantor britânico Sting, o Al Gore, o Thor, o Hulk e até o Papa se manifestaram em relação ao aumento das queimadas daquele ano. Agora vá até as redes sociais e veja com os seus próprios olhos o grau de preocupação que cada um desses influencers e figuras famosas estão atualmente. A omissão dessa galera apenas nos mostra que o que eles não gostavam era do presidente Bolsonaro.

Fica muito nítida a motivação por trás de cada uma dessas manifestações de "consciência ambiental" dessa galera. Nenhuma dessas pessoas se importa com o meio ambiente de verdade; elas usam essa pauta para defender seus próprios interesses ou os interesses de pessoas poderosas por trás delas.

Esse é o modus operandi das pessoas doutrinadas pelo viés estatista e marxista, enquanto proclamam apoio à liberdade de expressão e diversidade, muitas vezes impõem uma ideologia que cala quem pensa diferente.

Isso é especialmente evidente em seus esforços para cancelar indivíduos ou ideias que não se alinham rigidamente com sua visão de mundo, minando assim a verdadeira liberdade de pensamento e expressão que afirmam defender.

Eles exigem intervenções pesadas do estado para corrigir as falhas humanas, mas quando o estado vem como um tanque de guerra passando por cima de seus pares, status ou propriedade, reclamam do sistema vigente e colocam a culpa no capitalismo.

Enquanto criticam a concentração de poder nas mãos de poucos no setor privado, muitas vezes advogam por um estado inchado e intrusivo, ampliando o poder de burocratas e políticos sobre a vida das pessoas.

O famoso economista americano, Thomas Sowell, já nos ensinava sobre isso nos anos 90 em seu livro "A visão dos Ungidos" que nos dá um panorama claro sobre esse tipo de gente: "Os ungidos estão convencidos de que têm uma causa moralmente superior à dos outros, uma causa que justifica o seu uso do poder coercitivo do governo para impor suas visões sobre o resto da sociedade." Se quiser saber mais sobre as ideias desse brilhante intelectual, recomendamos o vídeo “Thomas Sowell: desmascarando falácias ideológicas”. O link está na descrição deste vídeo.

Todo esse fenômeno social serve para deixar explícito o que Libertários vem denunciando há anos. O sistema estatal e seus asseclas são um poço de hipocrisia e incoerência e nunca devemos permitir que o discursinho doutrinador deles venha afetar a nossa visão social.

Enquanto políticos e influencers continuam a se autoproclamar defensores fervorosos do meio ambiente, suas ações muitas vezes revelam uma realidade contraditória. A hipocrisia evidente desse pessoal não só compromete sua credibilidade, mas também enfraquece a causa ambiental que professam apoiar.

Quando exploramos as ideias libertárias, que já foram explicadas há décadas sobre esse tipo de gente, não temos só uma perspectiva renovada sobre questões ambientais. Os pensadores libertários desafiam a doutrinação marxista que frequentemente obscurece soluções viáveis.

Entender e se informar sobre autores como Rothbard, Hoppe e Sowell não vai só promover debate mais honesto e pragmático, mas também vai te livrar de toda a doutrinação que o sistema que impor sobre você.

Referências:

https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/deutschewelle/2024/06/24/mato-grosso-do-sul-decreta-emergencia-apos-incendios-no-pantanal.htm https://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/2024/06/24/recordes-queimadas-biomas-brasil.htm https://www.poder360.com.br/meio-ambiente/em-2020-marina-culpou-governo-bolsonaro-por-incendios-no-pantanal/ Visão Libertária - Thomas Sowell: desmascarando falácias ideológicas: https://youtu.be/tdIM0P53sjg

Visão Libertária

Visão Libertária é um jornal diário no YouTube, parte do canal ancap.su com conteúdo voltado ao libertarianismo. Trata-se de um jornal colaborativo em que muita gente participa da criação, edição, escolha dos temas e consegue receber algumas migalhas que o YouTube, de vez em quando, joga pra gente.

Nossas Redes Sociais

Visão Libertária. Desenvolvido por KoreacomK e a comunidade.